Marés Vivas 2019

Cartaz 2019

Carlão

Filho de pais Cabo Verdianos, Carlos Nobre Neves nasceu em Angola, tendo viajado para Portugal no mesmo ano do seu nascimento, 1975.
Sob o pseudónimo “Pacman”, entre 1993 e 2009 foi um dos vocalistas e o principal letrista dos “Da Weasel”, a mítica banda de Almada.

Nos anos noventa escreveu sobre música para o jornal “Blitz” e na década de 2000 assinou crónicas na revista “Domingo” do “Correio Da Manhã”, vindo mais tarde a ser responsável pela coluna “A Impossibilidade Das Mulheres” que transitou da revista “Playboy” para a congénere “GQ”.
Após o termino dos “Da Weasel” gravou dois discos com “Os Dias De Raiva” (em 2010 e 2011), banda trash/hardcore, e logo a seguir embarcou no projecto “Algodão”, viagem intimista onde a música serviu de pouco mais do que suporte para textos de cariz bastante pessoal, quase sempre ditos. Com “Algodão” gravou também dois discos, em 2011 e 2012.

No final de 2013 entra em estúdio com Fred Ferreira e Regula, e, sob o seu nome de sempre - Carlão - grava o disco “5-30” que é editado em 2014 e marca um regresso a sonoridades mais próximas do Hip-Hop e daquilo que tinha feito com os “Da Weasel", ao mesmo tempo que devolve a sua voz ao circuito de concertos em palcos grandes. Nesse mesmo ano começa a gravar “Esquadrão Do Amor”, programa televisivo do Canal Q criado e apresentado por Ana Markl, onde faz parte do painel de comentadores juntamente com Cláudio Ramos e São José Correia/Marta Bateira.

Em 2015, ano em que completa quarenta anos de idade, Carlão edita um álbum em nome próprio justamente intitulado “Quarenta”, e o sucesso do primeiro single “Os Tais”, bastante tocado pelas rádios mais ouvidas do país, torna-o imediatamente requisitado para uma intensa agenda de concertos.
No primeiro trimestre de 2016 lança (em edição digital) o EP “Na Batalha” com o tema-título como single, sendo este o mote para a sua digressão nesse ano. Juntamente com Boss Ac criou o tema-genérico do programa de cariz sociológico “E Se Fosse Consigo”, da autoria de Conceição Lino que estreou no mês de Abril no canal televisivo SIC e foi líder de audiências, tendo granjeado vários prémios e menções honrosas na comunicação social.
Em 2017, desenvolve “Livres & Iguais”, um projeto pedagógico de promoção da Interculturalidade, em parceria com a empresa Betweien, cristalizado num livro que já vai na sua segunda edição, tendo recebido para a mesma o selo de qualidade e reconhecimento do Plano Nacional de Leitura.
Após desvendar “Agulha no Palheiro” e “Viver Pra Sempre” ainda em 2017, Carlão apresenta em 2018 o single “Contigo” (produzido por Branko e Pedro), antes de finalmente editar o álbum “Entretenimento?”.

O mais recente disco conta com várias participações de relevo, tais como Manel Cruz, António Zambujo, Slow J, Holly, Nelson Correia e Edi Ventura. Depois de VHILS ter assinado a capa de “Quarenta”, coube agora a responsabilidade do design da capa de “Entretenimento?” a Miguel Januário aka ±MAISMENOS±

Ainda em 2018, colabora com os Xutos & Pontapés em “Duelo Ao Sol”, tema principal da banda sonora do filme “Linhas de Sangue” e junta-se a Moullinex e a Silk ( Cais Sodré Funk Connection ) para assinar a música do genérico da novela da SIC “Alma e Coração”.
Já em 2019, a música “Entretenimento” ganha agora uma nova dimensão num vídeo com autoria de Fernando Mamede, realizador que integra a equipa da Krypton Films.

Partindo de uma critica sarcástica aos códigos da sociedade atual e ao nosso papel na mesma, o músico veste a pele do personagem maior do mundo do entretenimento, o palhaço.

Informação adicional:

https://www.youtube.com/channel/UCXgrQgoyfAgp-tNUeL7Li9Q

https://www.instagram.com/carlao_nabatalha/