Marés Vivas 2017

Cartaz 2017

EXPENSIVE SOUL

Quem diria que já passaram quatro anos desde que "O Amor É Mágico" explodiu na rádio. Quatro anos que abalaram o país, a Europa e o mundo, mas que não impediram os Expensive Soul de cantar bem alto que acreditar na utopia podia não ser um erro.

Em 2010, os Expensive Soul estavam prontos "para o que desse e viesse". Era o 11º ano de uma carreira feita de crença e perseverança que incluíra o investimento próprio na gravação de estreia e a auto-edição, mas em compensação já deixara inscritos no cancioneiro moderno sucessos como "Eu Não Sei", "Brilho", "13 Mulheres" e outros. Partindo do "hip hop" e do "reggae", Demo e New Max tinham evoluído para uma linha cada vez mais próxima do "r’n’b", em 2 álbuns e centenas de concertos e actuações de norte a sul do país. Mas seis anos depois do 2º disco "Alma Cara", o duo de Leça da Palmeira voltara à estaca zero: sem editora e recorrendo aos seus próprios meios.

"Utopia" foi lançado em Maio de 2010 com o festivo 1º single "O Amor É Mágico" a crescer sustentadamente na rádio; foram seis meses de intenso trabalho de promoção na rádio, internet e estrada que transformaram o tema no maior sucesso do ano. Em Novembro, quando actuaram no "Concerto Mais Pequeno Do Mundo" da Rádio Comercial, "O Amor É Mágico" estava entre os 10 temas mais tocados na rádio há meses consecutivos e a televisão de prime-time em directo abre-se; a Gala de Natal da TVI, a Missão Sorriso, a final do Ídolos, os 75 Anos da Rádio Pública, a Operação Triunfo… os programas líderes de audiência da época natalícia colocam os Expensive Soul em máxima exposição até meados de Janeiro de 2011, aproveitando a autêntica festa de som e imagem que Demo, New Max e a Jaguar Band partilham com qualquer plateia.

O duo de Leça da Palmeira lança em Junho de 2014 o seu 4º álbum de originais, contendo os dois sucessos mais recentes "Cupido" e "Que Saudade". O álbum foi gravado ao longo do último ano com mais de 20 músicos a participarem em simultâneo na maioria das canções. A produção é de New Max, que assina também todas as músicas e letras enquanto Demo escreve as magníficas rimas. Chega em Junho às lojas com um total de 11 canções. É "soul music" cantada em português, feita no norte de Portugal, oscilando entre os sensuais "midtempos" e os "grooves" mais dançáveis. Pelas letras é o trabalho mais interventivo dos Expensive Soul, que estão cada vez mais exímios na transmissão de ideias em ambiente de festa. O amor continua sempre presente mas aqui e ali há uma mensagem de inconformismo que vai passando, como em "Progresso", o tema que abre o disco.

Se, pela altura do 2º álbum, "Alma Cara", o radialista Álvaro Costa mencionava a "Soul City" e, com "Utopia", os Expensive Soul fizeram de Portugal a "Soul Nation", resta saber até onde este 4º disco, "Sonhador", levará o sonho.

MAIS INFORMAÇÕES:

Site Oficial
http://www.expensivesoul.com/

Facebook
https://www.facebook.com/expensivesoul/